MAMILOS INVERTIDOS




Mesmo casada há 10 anos, Maria Conceição, 47 anos, sente vergonha de mostrar os seios para o marido.
O motivo é uma alteração que atinge a estrutura das mamas: o bico invertido.

“O mamilo invertido é definido quando seu plano ou posicionamento fica abaixo da linha da pele”, esclarece Ivo Carelli, presidente da Sociedade Brasileira de Mastologia – Regional São Paulo.

O problema atinge de 3 a 5% da população feminina e ganha classificações de acordo com a possibilidade de reversão. “Os tipos mais simples são facilmente revertidos e nos graus avançados a mulher não consegue manipular o mamilo”, explica o médico.


Mulheres que nasceram com o bico do seio normal, mas que depois se retraíram, devem ficar atentas. “O mamilo invertido pode ser sinal de uma infecção, como a mastite, ou até mesmo de um tumor”, afirma Diógenes Basegio, ginecologista e mastologista, do Rio Grande do Sul. Nesses casos, a recomendação é procurar por um especialista imediatamente.

"Estudos relatam 85% de casos em que a inversão ocorre nos dois mamilos e 15% em apenas um. Os casos unilaterais, recentes e em mulheres com faixa etária acima de 50 anos estão mais relacionados ao câncer", afirma Carelli.


Amamentação

Mulheres que enfrentam esse problema param de amamentar muito cedo devido ao desconforto. “Tive três filhas e a mais nova foi a que ficou no peito por mais tempo: um mês”, revela a dona-de-casa. Ela conta que para amamentar tinha de tirar leite com a bombinha, o que tornava todo o processo muito trabalhoso e demorado.
Os médicos recomendam que a futura mamãe não espere muito para começar a tratar o problema, que leva tempo, mas pode ser minimizado ou reparado. Quem ainda está planejando a gravidez, por exemplo, pode optar por uma cirurgia plástica. “A cirurgia é simples, no entanto, a técnica é mais complexa em pacientes que nunca amamentaram, porque é preciso manter os ductos mamários funcionando corretamente”, relata Carlos Alberto Komatsu, presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.
Segundo o médico, o procedimento pode ser feito com anestesia local e sedação, leva em torno de uma hora e a paciente vai embora no mesmo dia. A mulher pode engravidar logo depois, já que o seio terá os nove meses da gestação para cicatrizar. Esta é a única opção realmente definitiva para o bico do seio invertido.
Para quem não quer encarar uma cirurgia, há possibilidades paliativas, como o “corretor de mamilo” (uma espécie de bomba suga o bico e uma cápsula de silicone o mantém desta forma por um período). A indicação é de que o corretor seja usado diariamente por duas horas. Também existem as conchas de preparação, que ajudam a projetar os bicos para frente.

A própria mulher pode exercitar o local diariamente, durante o banho, por exemplo, fazendo leves movimentos puxando-o para fora. Com essa estimulação freqüente, em casos mais simples, o bico do seio tende a sair.
A amamentação, além de um cuidado importante com a saúde do recém-nascido, também pode ajudar. O movimento de sucção do bebê faz com que o mamilo seja forçado a sair. Foi o que aconteceu com a filha mais velha de Maria, Andreza. “O meu neto mamou até os dois anos, logo no início os bicos saíram. Depois que minha filha parou de amamentar, um dos bicos ficou para fora, mas o outro não”, relata.

Segundo o presidente da regional São Paulo da Sociedade Brasileira de Mastologia, dependendo do grau da inversão o recém-nascido terá dificuldades para pegar o peito. "Nos casos leves será simples pois a própria criança fará a eversão com a sucção. Já nos casos avançados poderá haver dificuldades importantes e até a impossibilidade de amamentar."

De mãe para filha
A alteração é congênita, mas não é hereditária. Das três filhas de Maria Conceição, duas têm o mesmo problema. “Com a minha filha mais velha, um dos bicos saiu depois do primeiro filho. Mas com a mais nova, está difícil, porque ela tem 14 anos e tem vergonha das amigas, de usar regata, essas coisas.”

A mãe, que tem o mesmo problema, não sabe como ajudar a filha. “Não sei o que dizer a ela, também fico tímida, não consigo usar blusas justas, e fico aflita de não saber como lidar com o assunto”, relata. No caso de adolescentes, os médicos recomendam esperar a primeira menstruação para só então procurar um mastologista e buscar tratamento.

http://delas.ig.com.br/saudedamulher/

4 comentários:

  1. bruna13/2/12

    gostei do site me ajudou bastante muito obrigada

    ResponderExcluir
  2. Anônimo13/5/12

    eu tenho mamilos invertidos e tenho muita vergonha :SSSSSSSSSSSSSS

    ResponderExcluir
  3. Anônimo24/9/12

    use o corretor niplette comigo está funcionando.

    http://www.philips.pt/c/avent-amamentacao/duplo-scf152_02/prd/


    www.youtube.com/watch?v=f97JYvlFvMk

    ResponderExcluir
  4. Anônimo11/10/12

    tenho os mamilos invertidos e sinto muita vergonha com o meu marido! Tenho medo que isso atrapalhe a amamentação do mu futuro bebê. Usei Niplette por um bom tempo, mas os mamilos voltam a se inverter... Gostaria de saber de alguém que fez cirurgia, se está tudo ok e se os mamilos voltaram ao normal. beijosss

    ResponderExcluir

Quero saber a sua opinião, ela é importante pra mim...

VEM COMIGO!

instagram...

Instagram

Onde a gente se vê...